Espaço pet em condomínios: como fazer

Segundo uma pesquisa do IBGE, no Brasil existem mais de 132 milhões de animais, número muito maior que a população infantil, que é de 45 milhões. Em 2020, é provável que o mercado pet fature por volta dos 20 bilhões de reais. Pensando nisso, muitas lojas, restaurantes, shoppings e até mesmo empresas estão se adaptando a essa realidade. Portanto, cada vez será mais comum encontrarmos lugares que tenham um espaço pet.

Já falamos aqui no blog sobre as regras de convivência com animais em condomínio. E, para melhorar isso, alguns empreendimentos estão construindo espaços pet. Além de funcionar como um lugar para o lazer dos bichinhos, essa área contribui de diversas maneiras para o condomínio como um todo. Quer saber mais sobre o assunto? Ao longo do post, iremos falar sobre isso. Confira:

O que é um espaço pet?

Agora, você já sabe que o espaço pet vem ganhando notoriedade em diversos tipos de condomínios. Mas você sabe exatamente o que é essa área?

O pet place é uma área exclusiva destinada para cuidados com a saúde ou entretenimento de gatos e cachorros. É como um parque de diversões dos animais. De acordo com o orçamento do condomínio ou pensando em atender necessidades específicas, esse espaço pode ter configurações diferentes.

Alguns condomínios possuem o espaço no modelo de pet care, onde os moradores levam seus animais para tomar banho e até mesmo tosar. Já em outros, optam por construir o dog agility, onde os cachorros podem correr, passar por obstáculos, túneis e rampas.

No entanto, nem sempre o condomínio tem orçamento para construir um espaço animal extremamente elaborado. Nesse caso, soluções mais simples podem ser muito eficientes. Áreas que possibilitem que os animais possam correr um pouco mais livres, já pode ser o suficiente para que eles gastem as energias acumuladas. Você quer ideias de como construir um espaço pet? Confira no próximo tópico!

Como fazer um pet place no seu condomínio

Antes de tomar a iniciativa, é essencial que os moradores estejam de acordo com a construção do pet place. Para a aprovação, é necessário que ⅔ dos moradores estejam de acordo. Portanto, deve-se convocar uma assembleia e levantar essa questão em uma das pautas.

Pet Care

Na construção do pet care, o síndico do empreendimento precisa saber qual será a função específica do local. Será um local para cuidar da higiene e saúde do animal de estimação com local para banho e tosa? Então, é necessário que tenha chuveiro ou tanque para o banho, secador e uma bancada para apoiar produtos, toalha e outros utensílios.

Dog Agility

Já para o dog agility, é recomendado que os cachorros e gatos tenham à disposição labirintos, túneis e obstáculos. A vantagem é que com o lugar disponível, materiais reciclados podem ser utilizados na construção desse espaço pet. Pneus pendurados podem ser usados como obstáculos para os cachorros pularem, por exemplo. Sendo assim, o custo da estruturação da área fica mais barato e o empreendimento contribui com a sustentabilidade.

Dog walk

No entanto, alguns condomínios podem não ter orçamento para construir um espaço animal mais elaborado. Porém, nem sempre dinheiro é problema. No dog walk, é necessário apenas um espaço para o animal se sentir mais livre. Logo, incrementar esses espaços com bebedouros automáticos e obstáculos feitos com materiais reciclados pode ser uma solução. Alguns síndicos relatam ter investido cerca de R$300,00 para a construção do lugar.

Como administrar o espaço pet?

Após a construção e com o espaço pet já funcionando, é imprescindível que a manutenção seja constante e feita coretamente. O acúmulo de dejetos, como as fezes dos animais, por exemplo, pode contaminar o espaço, os pets, funcionários e moradores. Desse modo, fique atento!

Além disso, é importante considerar a contratação temporária de profissionais, como veterinários e adestradores. Uma boa iniciativa é convidá-los durante o final de semana para estimular a integração de moradores e seus pets.

E quais são as regras?

No Código Civil não existem normas específicas para o espaço pet. Porém, cada condomínio possui um regimento interno próprio e é nele onde as regras do empreendimento devem ser estabelecidas.

Assim que a construção do pet place for iniciada (ou quando a ideia surgir), é necessário que se estabeleçam regras para o melhor funcionamento desse espaço. Continue lendo o post e confira algumas sugestões de normas.

Convivência

Alguns animais podem ter temperamento mais agressivo que outros. E, em casos de pets com comportamento mais agitado, é preciso que o dono tenha bom senso e esteja atento se seu bichinho não está incomodando os outros. Para cachorros de atitude muito agressiva, pode ser sugerido o uso obrigatório da focinheira. O mesmo acontece com cachorros de porte mais elevado e de raças famosas pelo pavio curto.

Limpeza

Assim como em outras áreas comuns do condomínio, é necessário que os moradores tenham responsabilidade quanto à higiene do espaço pet. Disponibilizar sacos de lixo (procure soluções sustentáveis) para o depósito de dejetos dos animais é uma ótima forma de manter o local limpo. Entretanto, mesmo com moradores responsáveis, a limpeza feita por profissionais é indispensável!

Horário de funcionamento

Mesmo quando o pet é calmo, ao brincar com outros animais ou até mesmo com o dono, ele pode se agitar, fazer barulho e incomodar os vizinhos. Uma boa dica é que o horário de funcionamento do pet place não entre em conflito com as normas da lei do silêncio vigente na cidade do condomínio. Com o funcionamento estendido durante o dia todo, a flexibilidade para o uso de moradores com diferentes horários também é garantida.

O pet, o morador e o condomínio ganham!

Se você chegou até aqui, deve estar se perguntando “E o que eu ganho com um espaço pet no condomínio?”. Nós da LAR respondemos:

Se você é síndico, garante a segurança do morador e oferece mais uma possibilidade de “serviço” dentro do condomínio. Além disso, construir um espaço pet atende a um público específico, que não encontra essa área comum com facilidade em outros empreendimentos. Sendo assim, mais pessoas irão desejar morar no seu condomínio e agregará mais valor a ele também.

Já se você é morador, além de ter a segurança garantida ao dar uma volta com seu bichinho, garante que o pet gaste energia e socialize. E mais, seu bolso também fica feliz por poder dar banho e tosar o animal de estimação no pet care.

Ou seja, sendo você síndico ou morador, o espaço pet é um benefício que agrada a todos, principalmente o seu pet. Gostou do conteúdo? Acesse nosso e-Book “Guia Definitivo Para Animais em Condomínio” e saiba tudo sobre pets no empreendimento!

Fonte: https://lar.app/blog/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.