Investigadora diz ser cliente e prende ‘marido de aluguel’ assassino em SP

Por G1 Santos


Paulo fazia postagens no próprio perfil sobre os serviços prestados como 'marido de aluguel' em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução/Facebook

Paulo fazia postagens no próprio perfil sobre os serviços prestados como ‘marido de aluguel’ em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução/Facebook

Um homem de 40 anos condenado por matar uma idosa, de 79, enquanto prestava serviços como ‘marido de aluguel’, foi preso após uma investigadora em Praia Grande, no litoral de São Paulo, se passar por cliente e atraí-lo para uma armadilha. Anúncios de trabalho feitos pelo foragido nas redes sociais ajudaram a polícia a localizar o homem. O G1 conversou com o delegado responsável pela captura do criminoso nesta quinta-feira (23).

Conforme apurado pelo G1, Paulo José Machado de Oliveira Ferraz foi localizado na noite desta quarta-feira (22), na Rua Javaés, bairro Vila Tupi, por policiais da Delegacia Sede de Praia Grande. Ele foi condenado a 23 anos de prisão, em regime fechado, pela prática do crime de latrocínio ocorrido no município de Bueno Brandão, em Minas Gerais. A vítima era sogra do atual prefeito da cidade, Sílvio Félix.

Segundo o delegado Sérgio Lemos Nassur, ele recebeu informações da Polícia Civil de Minas Gerais de que o homem estava residindo e também prestando serviços como ‘marido de aluguel’ em Praia Grande. “Foi assim que os nossos investigadores iniciaram diligências para localizá-lo”, explica Nassur.

'Marido de aluguel' foi preso por policiais em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução

‘Marido de aluguel’ foi preso por policiais em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução

Postagens feitas por Paulo em páginas de divulgação e vendas ajudaram a polícia a localizá-lo em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução/Facebook

Postagens feitas por Paulo em páginas de divulgação e vendas ajudaram a polícia a localizá-lo em Praia Grande, SP — Foto: Reprodução/Facebook

Latrocínio e ‘Marido de Aluguel’

Paulo José Machado de Oliveira Ferraz foi condenado a 23 anos e seis meses de reclusão em Minas Gerais por um crime de latrocínio envolvendo a idosa Eni Furquim Costa. Segundo o delegado Nassur, ele prestava pequenos serviços como ‘marido de aluguel’, realizando reparos na residência da vítima. O crime ocorreu em 2016.

“Como ele tinha acesso a casa, em um determinado dia ele entrou lá, agrediu essa senhora com socos, esganadura, pontapés, enfim, diversos tipos de agressões físicas, o que a levou a morte. Tudo isso para pegar o dinheiro, celular e mais alguns pertences da vítima”, explica o delegado.

Idosa de 79 anos foi morta em 2016 em Bueno Brandão (MG) — Foto: Arquivo família

Idosa de 79 anos foi morta em 2016 em Bueno Brandão (MG) — Foto: Arquivo família

Segundo a Polícia Civil informou ao G1, o foragido já tinha passagem pela polícia também pelo crime de furto. “Depois do trâmite da Justiça pelo latrocínio, o suspeito ficou foragido em Praia Grande por quase um ano. Na cidade, apesar de ele fazer serviços de ‘marido de aluguel’, não temos registros de vítimas. Ele passou ainda por outras cidades antes de ficar aqui, inclusive pela cidade natal, Atibaia”, diz Nassur.

Todo o crime contra a idosa foi cometido na presença da filha dela, que tem deficiência. “Ela inclusive foi a principal testemunha de acusação dentro do processo, fazendo com que o rapaz fosse condenado”, finaliza o delegado.

Captura foi feita por policiais da Delegacia Sede de Praia Grande, SP — Foto: João Paulo de Castro/G1

Captura foi feita por policiais da Delegacia Sede de Praia Grande, SP — Foto: João Paulo de Castro/G1

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.