Teve seu WhatsApp invadido? Veja o que fazer!

Luiz Augusto Filizzola D’Urso

Infelizmente, os métodos utilizados para estas invasões são diversos, todavia, lembre-se, o objetivo é sempre um: conseguir que você passe ao criminoso um código que você receberá em seu celular.

Acompanhamos um crescimento absurdo de vítimas buscando auxílio após ter seu WhatsApp invadido por criminosos.

Infelizmente, os métodos utilizados para estas invasões são diversos, todavia, lembre-se, o objetivo é sempre um: conseguir que você passe ao criminoso um código que você receberá em seu celular.

Este código é chave de acesso ao seu WhatsApp, e elemento essencial para esta invasão acontecer.

Nos casos em que os criminosos conseguem este código, normalmente, após a invasão, eles se passam pelo titular daquela conta e pedem dinheiro emprestado para todos os contatos da vítima. Esta que logo saberá que foi invadida, seja por não conseguir acessar seu WhatsApp, seja pelas ligações de seus amigos e familiares mais desconfiados e atentos.

Afinal, como estes criminosos conseguem que a própria vítima envie o referido código?

O método mais comum é quando o criminoso se passa por um funcionário de algum site que a vítima publicou recentemente anúncio de produto, e afirma que para “validar” este anúncio a vítima precisa fornecer o código recebido em seu celular.

Na verdade, este código é o de acesso ao WhatsApp, que a própria vítima acaba concedendo aos criminosos, enganada por este “suposto funcionário”.

Vejamos as 5 dicas iniciais, que elaborei, para as vítimas da referida invasão:

  1. Tente retomar imediatamente seu acesso no próprio aplicativo (WhatsApp);
  2. Não conseguiu? Envie um e-mail para support@whatsapp.com ;
  3. Coloque, como assunto, o seguinte: ACCOUNT HACKED  +55 (SEU DDD) + (SEU NÚMERO);
  4. No corpo do e-mail, explique que teve sua conta invadida, e que o criminoso está pedindo dinheiro em seu nome (se for o caso), também solicite o bloqueio do acesso do criminoso e a devolução de seu acesso. (O texto constante deste e-mail deve estar em português e também em inglês). Dica: caso tenha dificuldade com a língua inglesa, use o Google Tradutor;
  5. Registre o boletim de ocorrência, quando necessário.

Estas são as orientações iniciais. Lembre-se: sempre ATIVAR a autenticação em dois fatores de seu WhatsApp, Instagram e etc – que trará uma proteção extra, e pode, muitas vezes, evitar todas estas situações. Muito cuidado com estes estelionatários digitais.

________

*Luiz Augusto Filizzola D’Urso é advogado especialista em Direito Digital e cibercrimes no escritório D’Urso e Borges Advogados Associados.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.